Sábado, 26 de Dezembro de 2009

Adormeceu de vez

Ao encontro do sonho seguinte...

K!KE às 20:33
| comentar
Sexta-feira, 20 de Março de 2009

Mostra-me o caminho..

 Faz-me perder.

K!KE às 21:41
| comentar | comentários (1)

Seulement les fous connaissent les places où habite l'amour..

 Les autres vivent l'habitude.

K!KE às 21:39
| comentar
Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Agentes da gente

O guarda de guarda da guarda na Guarda aguarda o render da guarda do guarda gordo.

K!KE às 11:36
| comentar | comentários (1)
Domingo, 21 de Setembro de 2008

You are my friend!

 

K!KE às 23:29
| comentar

Poder dos sonhos!

 

 

K!KE às 23:11
| comentar

1/10?

 

K!KE às 23:03
| comentar

In Out

 

K!KE às 22:59
| comentar

O Lobisomem e o Coronel

 

K!KE às 22:55
| comentar

Cruz da Cruz

 

K!KE às 22:53
| comentar | comentários (1)

Boi Aruá

 

K!KE às 22:51
| comentar

Árvore do Dinheiro

 

K!KE às 22:46
| comentar | comentários (1)
Sábado, 19 de Julho de 2008

10000 paixões que quiseram despertar

Obrigado! Porque os números mentem com a certeza da numeração!

K!KE às 23:00
| comentar | comentários (1)

Concerteza Vivo

Vivo sem leveza, mas leve e com certeza.

K!KE às 22:59
| comentar

....

Vejo luzes às escuras da noite com a claridade de um dia. 

K!KE às 22:56
| comentar

Insprimo-me...

A tendência do devir comprime-se na opressão da expressão inscrita.

K!KE às 22:53
| comentar

...... ..... .... ... .. .

Oiço comboios que me escutam ao longe.... vejo-os até que o silêncio os apague.

K!KE às 22:51
| comentar

...

A velocidade do pensamento sucumbe ao ritmo do sentimento.

K!KE às 22:43
| comentar | comentários (1)
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

A pedra do Pedro

 

O (re)volver de regresso aos projécteis no teu olhar.

K!KE às 18:50
| comentar

Na visibilidade de um gesto a transparência de um ser

Suspiras. Na visibilidade de um gesto a transparência de um ser. Inspiro-me. Plenos planos despontam ao despertar o sorriso das tuas manhãs. Sentado sentindo a sensação de estar sentado. Inspiro. Ofereço-me um presente: viver aqui e agora. Já não procuro na noite a expressão de um dia, numa existência a experiência de testar o existir futuro. Revelo-me hoje: sou o que pareço e estremeço quando aconteço. Ser é sê-lo. Aqui e agora.

K!KE às 17:17
| comentar | comentários (1)

Dispersão Expressa, Encontro Impresso

Disperso-me quando me expresso. Ainda mais quando tomo um expresso. Aí perco-me até ao infinito do concreto... Normalmente vou-me encontrando no leito do despertar seguinte. Então imprimo uma expressão dispersa que me deixa impressionado. Mas não o expresso.

K!KE às 17:14
| comentar

Reconheço que Desconheço o Reconhecimento

Em metade do que sei oculta-se metade do que desconheço. Aliás a minha sabedoria mais não é que a expressão da minha ignorância. Reconheço que se soubesse o que desconheço revelaria desconhecer que sei.

K!KE às 17:12
| comentar

Devassar um Devir

Na expressão de um devir a síntese da alquimia dos múltiplos caminhos de uma estrada perdida que desemboca no encontro de um sentido.

K!KE às 16:48
| comentar

Raio do Man do Ray Ban dito por um Man Ray sem raio:

O sol que se reflecte nos teus óculos oculta a estrela que se espelha em ti.

K!KE às 16:47
| comentar

Desabafrases

Quem muros levanta em paredes se encerra.

Antes um artista da pedra que um pedreiro pedrado.

Antes pedra que perda.

Antes cravo iluminado que escravo da iluminação.

Desprezam-se minas de gente em nome de uma pedra.

Olha-te ao espelho se duvidas do que te digo, encontra-te no reflexo para de ti duvidar.

Em nome da certeza muitas dúvidas se levantam.

K!KE às 03:09
| comentar
Domingo, 13 de Julho de 2008

Quem levanta muros fecha-se em paredes...!

Diz-me ela gritando ao auscultador: "... Cresce e aparece!". Sustive então o grito que o telefone me desligou: descansa, hei-de aparecer quando desapareceres... O negro do teu rosto envergonha-se com o negro do teu mau gosto!

K!KE às 21:23
| comentar
Sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Assim Carlos queiras:

É tempo de acabar de vez a limpeza às taças que começou aqui há uns anos!
K!KE às 22:18
| comentar
Domingo, 6 de Julho de 2008

Verdade

Não é a mentira que mata: é a vontade de mentir.

K!KE às 21:46
| comentar

O orgulho mata... o gorgulho também.

Por isso não deixes para (depois de) amanhã a (r)evolução que pode acontecer já hoje e revelar-se (antes de) amanhã.

K!KE às 21:26
| comentar
Sábado, 28 de Junho de 2008

BJëRK?

Who is it? vs Who it is?

K!KE às 23:47
| comentar
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

Algo estupidamente invejável

 

K!KE às 06:22
| comentar | comentários (1)
Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

FemBot

The Original vs La Invalide

K!KE às 03:41
| comentar

Mc'Donners patrocina o fim da fome no mundo

 

K!KE às 03:39
| comentar
Sábado, 21 de Junho de 2008

!!!

Big Dog vs Big Hog

K!KE às 22:26
| comentar
Sexta-feira, 20 de Junho de 2008

Silêncio que se vai renovar o fado

Vós a jogar

Nós a rezar

Mas no fundo, no fundo...

Mais um ano a vê-los ganhar!

K!KE às 10:39
| comentar

Something from Elsewhere

Sister Twisted vs Detour

K!KE às 10:35
| comentar
Sexta-feira, 13 de Junho de 2008

Marissa Nadler

 

K!KE às 16:40
| comentar

Ireland: 12 points!?

 

Now what?

K!KE às 16:37
| comentar

(in)difference?

 

K!KE às 11:12
| comentar | comentários (1)
Quarta-feira, 11 de Junho de 2008

(in)difference

 

K!KE às 17:02
| comentar

FumaDor

Vem Amor apaga a dor.

Não são cigarros

são balas que espalmas no cinzeiro.

A paga Amor

são mais batalhas,

finais que atalhas

nas paixões que apagas.

Vem apaga,

Amor ApagaDor.

K!KE às 17:00
| comentar

As botas dos Heróis

Carlos Manuel é nome de herói de infância: o número 6 do Benfica que há muito arrumou as botas e do meu irmão que as arrumou cedo de mais. Um era o capitão que faz muita falta ao meu clube. O outro o meu mais velho capitão que muita falta nos faz. Mas o que é hoje se não a infância e mais um dia. Herói é sempre, mesmo quando dói. 

K!KE às 05:25
| comentar | comentários (2)
Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Dia da Raça Nazionalista?!

Cavaco embebido (não confundir com ébrio que estava bem sóbrio) na atmosfera do futebol e das bandeiras nas janelas piscou o olho a uma "velha senhora". Pouca vergonha! Merecia era um carolo bem aviado... ou entrando no espírito da coisa uma entrada a pés juntos em cheio na cadeira!

K!KE às 23:18
| comentar

'Ecoute and take your brains to another dimension... or not.

 

K!KE às 16:53
| comentar
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

WrayGunn

 

K!KE às 20:33
| comentar
Terça-feira, 3 de Junho de 2008

La vieille dame et les pigeons

Beggin Half thEnd

K!KE às 21:49
| comentar
Domingo, 11 de Maio de 2008

Apagou-se a Luz...

Agora queremos sinfonia, Maestro!

K!KE às 23:27
| comentar | comentários (1)
Sábado, 10 de Maio de 2008

Concertina Heligonka modelo 'Concertamor'

 

Agora só falta polir os baixos, pautar os acordes e soltar a musa...

K!KE às 00:32
| comentar | comentários (1)
Sexta-feira, 9 de Maio de 2008

Breviário Clandestino num Desatino sem Destino mas Destinatário Vário

O fascínio do precipício é imaginar que tudo volta ao início.

|Mas|

Se vives uma vida de descrédito não desperdices o crédito que tens.

|Porra!|

Tou farto de artistas que se crêem de vistas largas e nas horas apertadas viram costas às vidas amargas.

|Contudo|

Não ponhas início ao pesadelo ouviste?! Meu olhar morre triste se nesse rumo caiste.

|Escuta|

Não prendas um sopro triste nuns olhos que já viste!

|Vem|

Liberta esse brilho de magia com um olhar de alegria!

|V!VE|

A dureza sem tristeza, a beleza com certeza!

K!KE às 01:56
| comentar
Domingo, 4 de Maio de 2008

Porque hoje não é Sábado

K!KE às 02:21
| comentar
Sábado, 3 de Maio de 2008

Baile de rimas a uma janela de aldeia

Gosto de bailados. Não tanto de ballet mas de coisas mais contemporâneas e de expressões extemporâneas por assim dizer. Gosto. E quando do palco me descobres no meio da casa cheia e danças sem engano só para mim como se estivesse só na plateia. Adoro! E aí abraço o teu ritmo e deslizo no embalo dos teus passos de seda. E amo, e inflamo!

Mas quando o fim da noite me beliscas e a cortina desce, e o pessoal da aldeia se levanta, em coro te eleva nas palmas e depois parte nas calmas. Não fazes ideia: aí choro! Choro porque lá na aldeia só havia areia, e a malta nem fazia ideia do que era uma plateia. Eu também não gostava de bailados mas derretia-me por gelados, rebuçados e pelos teus olhos aluados. São eles que vejo neste céu estrelado. Que se apaga quando a plateia se acende. E tu não voltas para mim, Dulcineia.

K!KE às 04:00
| comentar
Sexta-feira, 2 de Maio de 2008

Leonor Keil


Envolvi-me há uns anos num bailado fotográfico com esta senhora musa e com ela compus a candidatura para a entrada na escola de cinema. Quando me despedi da sua quinta de Canas de Senhorim abraçava-a a sua filha Catarina embalando o último dia de gravidez do seu irmão Ivo.

Revi-os este Verão enquanto o Ivo encenava a entrada para o primeiro ano de escola e a Catarina ensaiava já o encanto de uma musa. E juntos brincámos de pais e de artistas de circo.

Quando olho para trás é com convicção que acredito que os nossos passos se vão reencontrar um pouco mais à frente. Quem sabe se num visionário bailado cinematográfico no interior de um mágico chapitô.
K!KE às 19:18
| comentar

John by Vincent

 
Simple as that! Man, I was missing this...
K!KE às 14:43
| comentar

Concertamor



A espera tá quase no fim! Depois só falta tudo... Quase tudo...
K!KE às 01:41
| comentar
Quinta-feira, 1 de Maio de 2008

Mad'Line



Já faz um ano desde o desaparecimento da Maddie e quanto mais procuramos mais descobrimos horrores maiores. Mas vendo bem há muito que o homem se desviou da linha.
K!KE às 21:30
| comentar

W Generation

We live in a WhoWhereWhen Generation. Why not wish an WorldWiseWisdom Generation?
K!KE às 21:26
| comentar

Não resisto... Que hoje é dia de quem trabalha no duro


(Hei Açoreano... amigos como dantes... Ok?!?)
K!KE às 16:56
| comentar
Sábado, 26 de Abril de 2008

Um ano de amor desperto

Há um ano abri os olhos ao teu lado, amor. Obrigado por essa aurora e pelos sonhos que desde então vivemos.
K!KE às 20:02
| comentar

la(R)eXistence!

Projecto (R!)evolucionário em curso, de discurso apostado num melhor percurso. Esta é uma real utopia onde pretendo reunir projectos e vontades, espaços e tempos, especialistas e identidades. Um organismo vivo respirante e aspirante de exigência na existência, e emergência na experiência! (R!): hoje uma linha amanhã uma rede! Vive la (R)eXistence!



Em terra de servos

Num tempo de escravos
murcham os cravos

escapam os bravos
engolindo parvos.

Quero mais,
exijo melhor.
Não mais do mesmo
mas mesmo mais.
Quero melhorar,
e exijo-o mesmo!
K!KE às 02:06
| comentar
Sábado, 19 de Abril de 2008

Atacador


Hoje fui apanhado a roubar no supermercado uns atacadores que para cúmulo não me serviam no sapato. Questão: devo apresentar reclamação?
K!KE às 00:39
| comentar

Pela mistura e diálogo intercultural

http://lisboaintercultural.blogspot.com/

Nesta eu tou!
K!KE às 00:34
| comentar | comentários (1)
Segunda-feira, 7 de Abril de 2008

Écoute!

 Listen...
K!KE às 20:58
| comentar
Sábado, 5 de Abril de 2008

Fado ao desafino

Esta noite voltei a desafinar com o meu velho fado do bloqueio e não podia ter escolhido melhor sítio que uma casa de fados em plena Alfama. Talvez por ter companhia importante ou por ter embirrado com o empregado, do cartão de crédito ao meu estado médico tudo se complicou numa noite que era para ser de afinação. A verdade é que ando cansado e houve stresses no fim da tarde que me deixaram em profundo estado bazaroco. Conselho prático: ir descansar e voltar aos acordes iniciais.

K!KE às 08:54
| comentar
Sexta-feira, 4 de Abril de 2008

Ver “Lopes” e projectar o cinema

Fui à cinemateca ver a estreia do documentário dos Lopes.

De aperitivo uma elegia do Mestre Fernando numa combustão cinematográfica que revolve o grão da emoção nas labaredas de memória. Tudo aquilo me emocionou de forma estranhamente familiar fosse pela proximidade às imagens ícone do nosso cinema

 

ou por ter feito parte da família que elevou a poesia em pleno São Carlos. O fogo apaga-se no topo da sala, trocam-se as fitas e acende em mim uma e outra questão: serão eternas as imagens que admiro? Que eternidades estas? A nossa memória perdurará? Serei eterno face às imagens que admiro? E os meus heróis também morrem? Morre o olho que olho mas não o olhar que sobre o olhar nasceu.

 

No fatal destino de tudo o que respira viajo até um livro que me acompanhou num tempo de convalescença: um homem que produz filmes que ninguém viu decide destruir o seu asservo no término da vida. Mas antes decide mostrá-los a alguém que escreva sobre eles. Será esse o nosso único papel em vida, o de deixar um registo sobre o mundo que experimentámos? E não o partilhar com ninguém? Hoje sinto essa necessidade e não fui o único. É que também este filme de Fernando por João Lopes ‘Provavelmente...’ não é para mim mais um filme: é uma admirável homenagem em vida, de quem sente que há que partilhar a obra em vida num marco inteligente sobre um homem sensível que por demais admiro, e que memorizo num tabuleiro do Éden visto dos céus, ou perscutando a intimidade do nosso cinema nos planos que espelham a casa do autor.


O catedrático e mediático João, autor crítico, professor e mestre de todo e qualquer cinéfilo deste país de F's: fado, futebol (antes Fátima) e haja quem ouse dizê-lo também de filmes assume-se agora destino deste Lopes, um São João que até à produção admira no momento dos agradecimentos (e como eu gostava de assim ser reproduzido nessas lides de lavoro...).


O meu professor João prescuta em cada olhar próximo um interior humano, que me marca como a minha imagem matricial do bom cinema à português e ainda com resiliência para mais um combate à chuva e espaço para outro copo de whisky. Mas se me autoriza há nesta admiração uma vénia que persiste de um discípulo que se acha menor, tal como um Mestre Fernando prescrutando o tamanho das pistolas de um Ford Mestre de Westerns. Isso acho errado. Que na arte não há pessoas melhores apenas obras mais marcantes. Sob a arquitectura do panteão do cinema são as estrelas que brilham mais que os obras mas não são elas as estrelas mais brilhantes.


Sugerir um canal que permita dar trabalho aos consagrados? O tempo das classes superiores e inferiores parece-me algo descontinuado mas mesmo que não devamos desprezar que exista gente com e sem classe e obras com e sem valor. A capacidade de superação tem de ser diária e a capacidade de afirmação deverá ser justificada. Se um Fernando Lopes ficar sem realizar os seus projectos obviamente que não fico satisfeito que essa situação deixa-me triste! Mas se isso der lugar a um novo Belarmino então saudemos a vitalidade do cinema português.

 

 


Para mim mais que tudo existem Homens e é deles que se projecta o artista. E se o homem não é eterno também eterna não será a sua capacidade de criação. Daí que aceitar todo e qualquer trabalho maior ou até um rabisco, reconhecendo por uma assinatura uma obra de arte não será para mim o mais correcto. Entraremos nesse caso num mundo de coleccionadores de matéria inerte já que por vezes as palavras mais flamejantes têm autor desprezado.


Não estará na hora de assumir de vez que o subsídio não é o princípio do cinema mas o fim da capacidade de gerar meios de independência? Pensemos então o capitalismo que temos. Há os que têm e os que precisam do que esses têm. Mas encaremos o presente e o futuro: estamos num tempo em que os desejantes têm mais força que o poder do desejo. Porque já não dependem tão completamente dele. Hoje se não fazemos bem com 100000 tentemos fazer melhor com 100. Sejamos humildes artistas mas não dependamos da caridade para expressarmos a nossa arte!


Ponham-se em prática as formas de incentivar o apoio privado às artes e incentive-se a produção e distribuição, impondo-se quotas de qualidade e diversidade de programação às televisões generalistas! E produza-se para o estrangeiro! Tive em mãos a produção de um filme que integrou grandes mostras internacionais mas que não recebeu um tostão de qualquer entidade pública ou privada. Bati a N portas, mas não à do Portas. Fui inábil??!? Dir-me-ás então que fui às erradas. Repito-o com calos nas mãos! Mas quem é que mostra então, quem é que compra, quem é que aposta? O que é o mecenato, o que é a televisão independente? Independentes em quê? Divergem, arriscam, incentivam, alterna quem em quê? Tentemos @ cunha(d@) do Portas? A aventura (artística) segue com costa (comercial) à vista!


Mas se um Indie, um Fantas e um DocLisboa são crescentes sucessos de massas porque não assumir de vez que as massas querem diversidade. Se custa mais? Não, dá é mais trabalho. Custa ser criativo. A Roménia é nisso hoje uma moda. O Irão também um exemplo. Portugal ainda não. Abra-se um sentido de exportação numa porta por onde actualmente apenas entram formatos enlatados. Talvez dê mais trabalho ser continuamente criativo que as fórmulas tendem a esgotar-se. Aprendamos então com o bom, criemos um excelente produto apostando na identidade e sejamos exemplares a vendê-lo. E garantamos a venda seguinte promovendo a imagem com originalidade de qualidade. Ultrapassemos a rezinha ao Fundo perdido e os loops de flops. Respeitemos as glórias dos Carlos e dos Bastos e dos Fernandos Lopes, mas apostemos no surgimento de um Mourinho Oliveira, colhamos Figos em Almodovar, divulguemos os Nanis e os Morettis, e rezemos por Marizas aos montes.


Não querendo continuar a parecer desrespeitoso, até porque o Mestre Fernando partilha no meu panteão o lugar de César com o Monteiro, admito que todos nós teríamos a aprender com a saúde do seu pensamento em documentários, entrevistas, aulas e palestras. E que se invista nisso que é gasto com retorno. Por outro lado a saúde do seu e nosso cinema teria tudo a atingir com a utilização do reconhecimento do estatuto que alguns como ele conquistaram e através dele reunir apoios e abrir portas que nós, os iniciados não conseguimos de outra forma nem ousar imaginar. Mais que lamentar o silêncio de uma voz no megafone saúdo um novo caminho que traga voz a tod@s. Proponho pois que se assuma de vez um canal que emita a partir do panteão dos consagrados mas que não nos venham guiar até à entrada de um labirinto. Entrem nele connosco. Sejam um de nós que à saída seremos uma voz mais forte.

 

 

E nesta minha visão inocente olho as estrelas na noite da cinemateca e insolente sondo se haverá espaço para mais um ponto de luz e constato haver lugar para constelações inteiras se iluminarem. E já que cumprimento mestres como professores deles me despeço "provavelmente... até segunda feira".

 

 

 

K!KE às 05:15
| comentar
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Dreads de collants

K!KE às 23:08
| comentar
Terça-feira, 1 de Abril de 2008

Juro que por um momento me arrepiei de terror

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/c6e1857fd123948aaa1fed.html


E no frame seguinte suspirei por outro desfecho...
K!KE às 02:26
| comentar

Diz-me ela numa pausa para um cigarro:

"Tenho um pinóquio entre as pernas". E a verdade é que tinha mesmo... 
K!KE às 02:06
| comentar

'Fado Tonight' brevemente cinema breve

Fado são rudes gotas suspensas na guitarra sem fundo,

uma voz com fôlego e um copo imundo.

Era imaginar-te sem voz no outro mundo

E imaginar tudo de novo

Desafinando a alma a plenos pulmões.

Mas tudo isso desaparece

Quando a lâmpada aquece

E o cinema aparece.

Mesmo que não complete a plateia

Ou encha de tédio a ideia

Como os "Fados" do país do lado

Cinema é meu fado

Destino clandestino deste menino.

Esqueçam a dança com a platina do caracóis.

Esqueçam a herança de cineastas espanhóis.

Esqueçam a desesperança das derrotas e dos cachecóis.

Esqueçam tudo e tomem nota:

Fado Tonight será um filme

quem sabe até cinema

para esta e muitas outras noites!

 


 

K!KE às 01:24
| comentar

Despertar Dormente

Hoje dormi duas horas, duas horas mais do que ontem. E a verdade é que me sinto mais fresco do que em dias que dormi na totalidade menos duas horas. Mas nada como na consciência do trabalho finalizado dormir um justo sono justo a caminho de um despertar dormente.

K!KE às 01:17
| comentar

Mas será que isto anda tudo bêbado?

Há duas semanas um Táxi Killer acelerou por cima de quatro meninas que atravessavam uma passadeira apenas fazendo um pit stop duas horas mais tarde numa esquadra da polícia onde ainda acusava uns míseros 0,8 mg/L. Hoje quinze dias depois, talvez já com o álcool de volta ao valor habitual de 2,5 mg/L, já está de volta às corridas para juntar uns trocos para pagar a multa de 500 euros (ou talvez não, sim que a amnistia não há-de ser só para ajudar os chinesinhos das montanhas!!!) ou então um ampara choques novo que o outro talvez tenha ficado com alguma unha encravada quando nomeadamente para dar de frosques depois de fazer carambola fez marcha atrás passando por cima de uma das pirralhas.

 

Será que não devia ser tal como para os camionistas proposto um controlador de tempo de repouso e feitas análises regulares aos senhores? E não digo apenas ao bafo mas fundamentalmente psicológicas. Quem passa muito sobre o alcatrão sabe bem quem lá muito se passa!

 

O que me ainda mais me impressiona nesta história além do aparato dos detalhes e do grunho que devia ser atropelado a punho é este cavalheiro não ter ficado com a carta apreendida (que provavelmente até nem tinha...) e que no fim seja talvez só o jornal Global (quem?!) a fazer isto valer uma nota menor de rodapé num canto interior quando foi notícia de gala até em todos os jornais desportivos, que notícias querem-se é escritas com sangue quente. Questiono-me também o que seja a imprensa? Creio que devia ser em nome do povo um motor de defesa da justiça e da memória, mas temo que seja realmente apenas a memória justa de um povo.

K!KE às 00:36
| comentar
Segunda-feira, 31 de Março de 2008

Seguro Futuro que Asseguro

Um mendigo indicou-me o indigo do teu ser menina pródiga do meu querer
O azul que tenho em mim não é mais um blues de pena:
É um tom que emana desejo de gana e paixão na cama
O teu futuro asseguro que terá beleza ao lado

O teu futuro auguro que será comigo ao largo.
Porque não sou um hesitante de passagem nem de novo miragem:

Sou e em ti, seguro.

K!KE às 02:10
| comentar
Domingo, 30 de Março de 2008

ARTIST'iCO

Admiro-te defeveras deves saber disso. Aliás já to disse. Ainda mais nessa dinâmica em que te abriste nesse quarto do século com vista para o milénio seguinte. "Como Vovó GHandI Já dizia"  é a tua cara e há quem nasça para artista, há quem se recuse a nascer. E tu ainda vais meter uma geração cá fora. A mim tás a ajudar a parir. Vamos lá ver a quem é que saio. Se é que quero sair.
K!KE às 07:59
| comentar

Enfi'Arte

Artistas.. Políticos da arte... Arteus... Artopitécos... Ar nas tolas... Não me vejo nenhum deles. Não procuro ser artista mas um art'são tecendo os fios da minha vida num diálogo mantido num teclado a infinitas mãos. E poder chamar-vos por todos os nomes belos e subtis que o meu tear me permita e que os vossos receptores se disponham a receber. E não espero ensinar ninguém a fazer mantas nem fazê-las para ninguém. Se alguém aprender algo com isso ou venha à laia de donativo fazer na sua declaração de IRS a manifestação do amor ao manifesto enfim seja. No fundo espero apenas partilhar o desfrutar da sua execução. E no fim concretizar... E no fim procurar enfim, Arte.
K!KE às 07:14
| comentar

Camisola deMarcada

Gosto de despir a camisola que uso e mergulhar livremente num mar de influências. Como não sei ainda nadar fora de pé aproveito por vezes a boleia de viajantes que procuram encontrar destino semelhante. Mas se o rumo é diverso sei com margem segura que a camisola me continua a servir. Que nisto das camisolas é preciso ser exigente.
K!KE às 07:12
| comentar

Deito-me tarde que a inspiração arde

Deixei-te na cama à espera à espera que um milagre aconteça. É que estou embrulhado na escrita de um argumento. Escrever é um trabalho a tempo inteiro sem hora de entrada nem dia de saída. À falta de melhor argumento... tento escrever um melhor.
K!KE às 07:11
| comentar

Lucky Love

Conquista a sorte: não jogues o amor.
K!KE às 07:11
| comentar

AntropoLove

Com as asas soltas partilhas o rastilho:
assaltas margens que unes
rasgas línguas que aprendes
apreendes culturas que Libertas!
K!KE às 07:09
| comentar

FinalIdade

Tenho mais ou menos idade
Ou seja uma certa idade
para deixar de concretizar fora de tempo
Passou? Passado! O presente é futuro a vir.

Tenho mais ou menos a idade
ou seja a idade certa
para deixar de pensar no tempo em que vejo o tempo passar
e passar a ver o tempo andar no verbo agir.

Tenho idade e uma verdade
ou seja uma certa certeza
para desatar a começar
e a concretizar: FIM.
K!KE às 07:09
| comentar

Tédiomor

Os suspiros que soltas boca fora são gritos que mastigo para dentro.
K!KE às 07:08
| comentar | comentários (1)

Certos Exemplos

Não gosto de seguir o exemplo dos outros porque o mais certo é me perder.
K!KE às 07:05
| comentar

Trombamor

K!KE às 06:55
| comentar

O amor são dias que a noite ilumina

K!KE às 06:54
| comentar

Beijing2008

Tem sangue nas argolas.

K!KE às 06:06
| comentar
Sábado, 29 de Março de 2008

Heroes made of time

Pela enésima vez hoje chamaram-me careca. Com a nuance de me perguntarem se andava a raspar com a cabeça na parede. Engracei com a pergunta mas naturalmente fiquei sem resposta à altura. Senti-me simplesmente a caminho da decomposição e feliz por saber haver quem se divirta com o processo. Acho saudável o humor doentio. Sórdido...


By the way this nice handsome fat and bald bastard is his majesty Mr. Frank Black from the Pixies. Time is a changin' so change your time before he changes you!
K!KE às 00:07
| comentar
Quinta-feira, 27 de Março de 2008

escrita ao vento

Sentar-me a escrever mensagens com sentimento e soprá-las ao vento é agora uma realidade e não consequência de isolamento.
K!KE às 04:40
| comentar
Segunda-feira, 24 de Março de 2008

Rota rota

Gostava de descrever uma vida de rota espacial mas apenas escrevo aparas de momentos especiais.
K!KE às 04:57
| comentar
Sábado, 22 de Março de 2008

Exorcismo cor-de-rosa

Há quem fale que o Benfica que era o clube da outra senhora e que o pesadelo foi depois da Revolução. Para 6 em cada 10 o pesadelo é vermelho mas desbotado e não tem nada contra a cor da revolução. Aliás em 1974/75 até fomos campeões! Depois do fim do rosa nos equipamentos agora fala-se do Simão de volta e de uma porrada de treinadores. Eu cá já me contentava a ver o Rui Costa de caneco no ar do Jamor. Com tanto barulho na plateia já era de prever de que alguém se lembrasse desta:
http://vermelhovzky.blogspot.com/2008/03/benfica-ps-25-de-abril.html.

Fiquei intrigado com o ano: 1994. O ano da morte de Cobain, Senna e Tom Jobim. Sim um bom ano para ficar deprimido. Já foi há 14 anos. Eu estava no 9.º ano. Depois desse ano o Benfica só foi campeão mais uma vez. Mas na Wikipédia dizia mais: falava no dia 7 de Janeiro como começo de uma era negra: a eleição do sr. Damásio para presidente do Benfica. Depois lembrei-me de um trabalho para a disciplina de Desporto feito nesse ano sobre a história e o 30.º título do SLB feito a meias com um colega. Sim a culpa é toda minha! E pronto um bocadinho do meu colega que elogiava esse senhor. E já agora desse senhor e de alguns outros que vieram a seguir. E de uns outros trazidos por esses outros. E de 6 em cada 10 que permitiram isto tudo anos a fio. A mim só me resta pedir desculpas a 6 em cada 10 e que estes não aceitem quaisquer outros trazidos pelos outros lá metidos por esse senhor que o meu colega elogiava ou por um qualquer que venha a seguir. E que 6 em cada 10 aplaudam tudo isto e os feitos do sr. Rui Costa e dos Simões que aí venham. E que as camisolas sejam vermelhas como sempre foram. E pronto tá resolvido o mau karma! Só falta agradecer ao professor Karamba as glórias a caminho. Venha o caneco!!!
K!KE às 13:34
| comentar | comentários (1)

Balanço sem descanso

Este Blog nasceu desejado e desejando deixar saudades às amizades, partilhando umas intimidades e inventando umas verdades. Mas como qualquer filho adolescente atravessa também ele uma crise de identidade, estagnação e indefinição não partilhada pelo autor. Uma coisa este assume: autorizá-lo mais, para ver se fala melhor por ele.
K!KE às 03:45
| comentar

Boa Mike!

K!KE às 03:03
| comentar | comentários (2)

Paqueca


A melhor receita? Simplicidade e estupidez natural...
K!KE às 02:47
| comentar
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Hoje houve Trigo na Primavera

Por baixo da casa do Gelpi o mano Gil, há um apartamento recém comprado que não há-de tardar a ser vendido. É que ali no Terreiro do Trigo mais parece haver uma tenda de circo com pista de dança: nela se semeia o Sol que vai regar a colheita de uma nova geração.
K!KE às 23:22
| comentar | comentários (1)

Crua nudez ver na tua tez a Lua

Hoje revelou-se Primavera pelos buracos que o Buraco destapou.
K!KE às 02:00
| comentar
Quarta-feira, 19 de Março de 2008

O Ai Ai do Pai

O dia é do pai mas o meu anda de baixa. Anda com os açúcares amargos, o rim quase no fim e a vida a fugir de cadeira de rodas. Os médicos não arriscam diagnósticos mas eu dou o meu prognóstico: é que em mais de trinta anos de carreira nunca vi nada que um beijo cheio de amor não cure.
K!KE às 22:11
| comentar

Mima, para si este mimo!

No dia que é do pai nasceu para mim uma segunda mãe: Mima uma senhora menina bem pequenina que muito me anima e muito estima este menino.
K!KE às 21:57
| comentar

Gosto muito de ti, Paizinho...?

K!KE às 21:07
| comentar
Segunda-feira, 10 de Março de 2008

Razão com Paixão

Pais falando em quarto de Hospital - interior noite. Ele para ela: "A velhice é um problema e uma chatice". "Não," Responde ela, "A doença é que é!" Dou-lhe toda a razão. E parece que a maioria da população também. É que segundo uma sondagem a maior percentagem de gente feliz encontra-se na terceira idade. Só faltava um "E esta hein?" do nosso terno e eterno Peça.
K!KE às 22:27
| comentar
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Diz-me a Senhora que me fez...

...que a modernidade se faz de máquinas que silenciam a nossa voz. Eu que lhe faço muitas graças que não saem de graça até discordo mas dou-lhe razão. E muito moderno faço ecoar aqui os meus parabéns! Que hoje o dia é todo dela!
K!KE às 11:55
| comentar | comentários (2)
Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

E oferecer umas destas ao MaKuKula?

K!KE às 21:03
| comentar | comentários (2)

E o Óscar de Melhores Feitos Especiais vai para...

K!KE às 16:06
| comentar | comentários (1)

Rejected, the rejected Oscar nominee


O fim vem no fim...
K!KE às 16:00
| comentar

Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

amores despertos

blogs SAPO